naiara3.PNG
molduraAtivo 46.png

Doutora aos 33 anos, professora inova na sala de aula e no Youtube

Fala Mestre!

Edição N.º 15 - Abril de 2022

Quem nunca brincou de escolinha? Quando pequena, Naiara Vilela, que hoje tem um canal no Youtube com mais de 21 mil inscritos, adorava fingir que dava aula para os seus vizinhos. Crescidos, eles se formaram na área da Saúde e ela se tornou, de fato, professora. Contudo, não só inspirada pelas brincadeiras de criança, a vida profissional da professora Naiara também começou a partir de uma simples brincadeira, quando ela tinha apenas 14 anos de idade.

“Eu fazia aula de informática em Goiatuba (GO), cidade dos meus pais, e tinha uma professora de informática lá. Um dia, ela me disse que teria que deixar de dar aula e eu brinquei que queria ocupar o lugar dela. Aconteceu! Conversaram com os meus pais e a brincadeira se transformou em realidade. Aos 14 anos, me tornei menor-aprendiz dando aulas de informática”, lembra a professora, que hoje tem 33 anos e, há seis, ministra aulas de Língua Portuguesa para alunos do ensino médio em Uberlândia, município de Minas Gerais.

naiara1.PNG

Naiara Vilela já tem mais de 21 mil inscritos no Youtube

Apesar de nova, a educadora já trilhou uma longa trajetória acadêmica. Além de ser graduada em Letras, ela já completou seu mestrado e seu doutorado em Educação pela linha de Saberes e Práticas Educativas na Universidade Federal de Uberlândia. Inspirada pelas suas experiências — prazerosas e difíceis — na pós-graduação, Naiara comanda hoje o canal Trilhas na Pós-Graduação, no Youtube, onde publica vídeos novos semanalmente, mergulhando cada vez mais fundo no mundo da pós-graduação. 

“Desde que eu ingressei no mestrado, sempre fiz terapia. A vida na pós-graduação é muito agitada e a gente é muito cobrado. Por isso, procurei ajuda na questão da saúde mental e decidi ajudar os outros com o meu canal. É por isso que o Trilhas [na Pós-Graduação] existe. Eu vi o quanto fazer mestrado e doutorado te traz muita agitação e muito trabalho”, comenta a professora. 

Apesar de ser direcionado a conteúdos relacionados à pós-graduação atualmente, esse canal no Youtube já tem ainda mais história para contar — assim como a youtuber Naiara Vilela. “Quando o canal começou, 10 anos atrás, era um canal de informática. Foi com um vídeo de informática, inclusive, que tive mais de um milhão de visualizações. Então, me formei em Letras, e comecei a ensinar português no Youtube. Depois, terminei a pós-graduação na área da Educação e fui participar do Canal Futura. Participei do Geração Futura Educadores — que foi um divisor na minha vida. Ali, eu vi que eu gosto mesmo é de falar da pós. Logo, dei um nome ao meu canal, chamei-o de Trilhas da Pós-Graduação, comecei a fazer conteúdo focado, fazer entrevistas, e hoje temos quase 22 mil seguidores”, relata a professora.

Apesar de ser apaixonada pela área da pós-graduação e ter o sonho de trabalhar com o ensino superior, Naiara hoje dá aulas para o ensino médio. “É um público que eu gosto muito, porque está sempre em busca de algo novo, em uma fase de ter muitas ideias legais, de planejar o futuro”, comenta. “O que eu mais quero hoje é ser professora do ensino superior, mas ainda não tive a oportunidade. Se isso vai acontecer, eu não sei. Mas estou sempre tentando prestar concurso. Enquanto isso, faço o meu melhor como professora do ensino médio”, afirma ela, que diz ter uma relação incrível com seus alunos.

Como praticamente toda a sua família está em Goiás, Naiara passou o período de pandemia isolada sozinha em sua casa em Uberlândia, se encontrando apenas com dois amigos de confiança durante todo o período de isolamento social. Para cuidar de sua saúde mental, a professora se dedicou às aulas de ioga que pratica há 10 anos, à terapia, ao seu trabalho na escola e ao seu canal no Youtube — e assim tem sido desde então.

“Um amigo me perguntou como eu consigo me desdobrar tanto. Dizendo que eu publico foto no ioga, logo depois estou gravando vídeos, depois dou aula… Eu acredito que existem duas respostas: primeiro, eu aprendi que é isso que eu gosto de fazer da minha vida, gosto desse ritmo; segundo, é que eu preciso”, reflete a professora. “O canal no Youtube me traz monetização, e pessoas do Brasil inteiro hoje me procuram para assessoria. Assim, eu trabalho com o Youtube e com a escola, até mesmo para ter condições de bancar os meus momentos de lazer e as visitas à minha família”, afirma. 

 

“E eu aproveito todos esses momentos para tirar um tempo para mim. Hoje, por exemplo, a gente está em greve na escola e você me convidou para uma entrevista. Então, eu tentei aproveitar esse momento, para ficar longe do computador. Sentei em uma cadeira na grama, em um lugar que é lindo e estou falando com você. Eu poderia estar em casa, na mesa do computador, mas eu pensei em sentar na beira do rio, em um lugar inspirador, e aproveitar para tirar esse tempo para mim. A gente vai criando um equilíbrio”, revela.

naiara2.PNG

A professora Naiara faz ioga há 10 anos e começou a levar prática para a sala de aula

Retorno ​às atividades presenciais

Para a professora de Língua Portuguesa, o retorno às aulas presenciais tem sido difícil. Além de um sentimento de falta de acolhimento e uma rotina insana de atividades, Naiara se sente frustrada com os rumos pelos quais a educação tem seguido após dois anos de isolamento social.

“Eu penso que não existe normalidade depois de tudo que a gente passou. Olha o tanto que a gente aprendeu! E aí, voltar para a sala de aula, todos os dias, vivendo como era antes, sabe?”, indaga. “Com esse tanto de plataforma, com inúmeras possibilidades? A escola do século 21, continua tendo uma organização estrutural da escola de um século que não é o que a gente vive. Isso é apavorante! Ainda mais para quem tem criticidade. Por ter feito doutorado, eu tenho um espírito muito crítico e fico inconformada”, afirma a professora. “A minha pesquisa de doutorado foi sobre trabalhar de forma colaborativa e isso não existe no lugar onde eu trabalho. Um dos motivos para isso é o excesso de trabalho, é muita correria. E tudo continua hoje, como se a pandemia fosse um capítulo à parte da nossa história”, afirma.

 

Atualmente, Naiara usa do seu canal no Youtube para discutir esses e outros assuntos que, de alguma forma, fazem parte da formação dos professores. Diante do senso crítico que construiu no decorrer dos anos, segue acreditando em seus sonhos. “A minha mensagem é não desistam do sonho de vocês. Desacreditavam de mim quando eu comecei o meu canal no Youtube e hoje eu consigo falar com professores de todo o país por causa dele. Se alguém disser a vocês que o caminho que vocês estão percorrendo não vai dar certo, continuem firmes naquilo que vocês acreditam. Acreditem e lutem. Porque, assim, em algum momento, vai dar certo”, inspira a professora.

logo.png

REVISTA

Fala, Mestre!

01

Doutora aos 33 anos, professora inova na sala de aula e no Youtube